23 agosto 2016

Maria Fulô brincando com os ritmos


Livraria Jaqueira (Pocket show) Festa beneficiente

O show “Maria Fulô brincando com os ritmos” é um projeto da Maria Fulô em formato infantil, que tem a finalidade de resgatar a cultura pernambucana. É apresentado ao universo infantil cantigas de roda executadas em ritmos pernambucanos como o frevo, forró, maracatu, ciranda, coco de roda, caboclinho, entre outros. Parte importante é a presença de dois animadores interagindo com as crianças em um show super animado.

Justificativa do projeto
Devido a carência de grupos infantis que resgatam a cultura nordestina, Maria Fulô iniciou o projeto no intuito de divulgar a música regional para as crianças. É uma forma de mostrar através de brincadeiras, as nossas raízes, levando ao conhecimento de todos. 

Importância para a comunidade: Aprimorar o conhecimento da cultura pernambucana incentivando as crianças a prestigiarem ritmos nordestinos.

Projeto musical, CD
Esta é a capa do álbum “Brincando com os ritmos”, primeiro CD de Maria Fulô na versão infantil. A capa e o projeto gráfico estampam três personagens infantis e os objetos são inspirados no tema do CD que mostra os principais ritmos pernambucanos, com temas animados para as crianças. Nas cores da bandeira de Pernambuco, o disco foi lançado em outubro de 2013.

CD: Brincando com os ritmos
Músicas - Baixar CD
01. O cavalinho - “Ritmo caboclinho”, anima a criançada e relembra a brincadeira cavalgada, com cavalinhos improvisados de cabos de vassoura.

02. O coco – “Ritmo coco de roda”, associa o “coco fruta” com a forma rítmica.

03. Os instrumentos do forró – “Ritmo xote”, mostra quais são os principais instrumentos utilizados no forró tradicional “Triângulo, sanfona e zabumba.

04. Carnaval animado – “Ritmo de frevo”, associa a importância da família em eventos culturais e ressalta os personagens folclóricos.

05. Dançando ciranda - “Ritmo ciranda”, em brincadeira de roda, apresenta e ensina de forma divertida o ritmo regional, que anda banido dos eventos festivos das cidades pernambucanas.

06. Na minha fazenda – “Ritmo de forró”, O tema fala de alguns animais que as crianças simpatizam e também mostra os sons emitidos por seus personagens.

07. Vale a pena esperar – “Ritmo xote”, mostra um pouco do lado “mãe”, e toda preocupação durante uma gravidez de risco, no qual tudo termina bem.

08. São João do rei – “Ritmo arrasta – pé” fala da animação das festas juninas incentivando a manter a tradição das quadrilhas matutas.


Show Junino Shopping Rio Mar (Arraiá da Maria Fulozinha)
Informações adicionais 
O projeto infantil, MARIA FULÔ BRINCANDO COM OS RITMOS foi lançado em outubro de 2013, o formato infantil, já se apresentou em várias cidades e municípios do interior do estado de pernambuco, como exemplo: Glória, Apoti, Garanhuns, Jaboatão dos Guararapes (Festa da Pitomba), SESCs, inclusive na Capital (Recife) no Parque da Jaqueira, Carnaval do Recife, Festejos juninos o Recife, São João Teatro Luiz Mendonça (Parque D. Lindú), Shopping center, Praça da Vázea (Primeiro festival infantil do dia das crianças), entre outros.

Maria Fulô iniciou sua carreira musical aos 10 (Dez) anos e é um conhecida no no mercado da música nordestina. A artista teve experiência com artistas de renome como: Dominguinhos, Maracatú Nação Pernambuco, Jorge de Altinho, Genival Lacerda, Cristina Amaral, Jair Rodrigues, Trio Nordestino, Trio Virgulino, Os 3 do Nordeste etc.

Parque Dona Lindú
Maria Fulô, traz no seu currículo diversas apresentações em festivais como exemplo: FIG - Festival de inverno de Garanhuns – PE, Festival na onda da dança, Festival do nordeste de Brasília - DF, além de participações importantes como eventos realizados pelo SESC, SENAC, Governo do estado, prefeituras, universidades por todo o Brasil e turnê em Portugal. Maria Fulô, tem (Seis) CDs gravados e é sucesso por onde passa.

Mais Vídeos


Forró


                                                            Show Carnaval


Dançando Ciranda


Frevo Infantil


Conheça mais da Arte de Maria Fulô

18 agosto 2016

A arte de Maria Fulô


Anna Valkyria Nunes da Silva (Maria Fulô), musicista, cantora, compositora, produtora musical e  cultural,  iniciou sua carreira musical aos 10 anos de idade, no ano de 1990. Teve experiências musicais com artistas de renome como: Jair Rodrigues, Jorge de Altinho, Dominguinhos, Genival Lacerda, Trio Virgulino, Cristina Amaral, Banda Magníficos, os repentistas Cajú e Castanha, entre outros.



Relembrando os velhos tempos


Bate coração


Maria Fulô e Os 3 do Nordeste


Foi tecladista oficial do Stúdio Somax, (Recife – PE), no qual desenvolveu experiência como produtora musical. Em 2004,  montou sua banda que era formada só por mulheres e que tinha como principal característica do seu trabalho, a valorização da música nordestina, como exemplo: O forró, frevo, xote, arrasta-pé, entre outros. Após alguns anos a musicista, resolveu assumir o nome Maria Fulô, como nome artístico.

Convidada três vezes para participar do Montreux Jazz Festival, Maria Fulô traz no currículo diversas apresentações como o Festival do Nordeste – DF, Festival de Inverno de Garanhuns (FIG), Festival na Onda da Dança, Semana Arte Mulher (Minc), Eventos realizados no SESC, SESI, Universidades de todo Brasil e Turnê em Portugal.

Maria Fulô tem 6 discos gravados, incluindo um CD para o público infantil, além de uma coletânea com os melhores sucessos. O grupo ganhou o 1º Lugar no Prêmio da Música Pernambucana: Em 2014, com o disco em que faz homenagem ao Mestre “Dominguinhos” na categoria grupos de forró e em 2016 com o disco “Maria Fulôzinha, brincando com os ritmos”.

Gravou um CD em homenagem a Reginaldo Rossi, no qual contou com participações como: Marron Brasileiro, Nádia Maia, Genival Lacerda, Luciano Magno, entre outros. Atualmente, apadrinhada pelo Trio Virgulino, grupo que revolucionou o forró tradicional, em São Paulo, fazendo crescer a febre do chamado forró universitário, apadrinhando grupos como Fala Mansa, Bicho de pé, Rasta-pé, etc.

Maria Fulô também tem um projeto paralelo, de música regional para crianças, no qual apresentam o  forró, xote, arrasta-pé, frevo, ciranda, entre outros. São músicas do cancioneiro popular infantil em ritmos nordestinos. O projeto infantil “ Maria Fulozinha brincando com os ritmos “ ganhou recentemente (2016) o primeiro lugar no 7 º Prêmio da música pernambucana.

Conheça o Projeto "Maria Fulô brincando com ritmos"

Palco Mp3

Contato
(81) 9 9874.7192 Whats app

28 julho 2016

Documentário sobre cantadores de viola



Documentário disponível na internet:

Youtube
TV Senado 

Em junho de 2012, uma equipe da TV Senado embrenhou-se pelo interior da Paraíba em busca de pessoas que tenham conhecido o lendário Zé Limeira, cantador negro que viveu os primórdios da cantoria e que criou os versos mais surrealistas da história do repente. Dessa aventura, surgiu O homem que viu Zé Limeira, um documentário sobre o escritor Orlando Tejo, que eternizou os versos desse cantador no livro Zé Limeira, o poeta do absurdo. Mas essa é outra história!

O fato é que das conversas com os moradores da região, repentistas, músicos, pesquisadores e admiradores da cantoria, foi possível conhecer o universo em torno dos cantadores e dos repentistas e a riqueza contida em suas memórias. Nasce então o documentário Cantorias, uma coletânea de histórias que tem como protagonistas os cantadores de viola nordestinos, homens de raciocínio rápido e língua afiada, que deixaram um rastro de poesia mundo afora.

Com depoimentos de Ariano Suassuna, Chico Cesar, Siba, João Furiba, Geraldo Amâncio, Ivanildo Vila Nova, Moacir Laurentino, Oliveiras de Panelas, Jomaci Dantas, Beto Brito, Marcus Accioly, Bráulio Tavares e Gonzaga Rodrigues.O resultado foi um documentário bem humorado e cheio de relíquias como fotos, vídeos e fonogramas que mostram os mestres da cantoria em diferentes épocas. Segue nosso cartaz, o trailer no Youtube e textos para falar desse trabalho. Conto com a colaboração de todos na divulgação!


Cantorias

No sertão paraibano
Naquele século passado
No Teixeira, Romano e Inácio
Fizeram verso acertado
Criando a nossa cantoria
Que da noite para o dia
Deixou o povo encantado.

Dois rimando no passado
Desafiaram a fantasia.
Pinto, Louro e Xudu
Seguiram a mesma porfia
Hoje no rádio e na TV
O que mais o povo vê
São versos de cantoria.

Maurício Melo

Estreia: 30/07 (sábado), às 21h30

Reapresentações:

31/07 – 9h30/ 17h30
01/08 – 1h00
06/08 – 20h00
07/08 – 8h30 / 16h00 
13/08 – 6h00 / 22h00

Direção: Maurício Melo
Produção, roteiro e edição: Lorena Maria
Duração: 28 min


09 junho 2016

Nova Edição - Para rir até chorar com a cultura popular



Este livro busca a essência da mais pura poesia popular. E decifra suas mais diversas formas de composições. Foi com essa intenção que o autor desta obra fez um estudo e descreveu em mais de 300 páginas os mais variados ramos da cultura popular, traduzidas em poesias, cantorias, literatura de cordel, emboladas, canções, gestas e romances. A trajetória dos repentistas e o universo dos seus conhecimentos, são aqui narrados, mostrando ainda aquilo que somente os grandes mestres da sabedoria popular podem interpretar fielmente.

Nesta 2ª edição, revista e melhorada, o autor ampliou suas observações, introduziu novos capítulos e aumentou o número de gêneros da cantoria. O resultado foi um aumento no campo e pesquisa de quem necessita compreender a literatura de cordel.

Saiba mais sobre o autor
Saiba mais sobre o livro
Leia alguns trechos

E continua repassando para o leitor as brigas poéticas engraçadas, cantadas ou faladas, de poetas nordestinos. Uma farta análise relaciona cordel, emboladas, quadras, sextilhas, martelos, mourões e muitos outros gêneros da mais pura cantoria nordestina.